ALGO MAIS SOBRE CALOS E BOLHAS

Há dez anos eu machuquei alguém. Claro que não foi a única pessoa, mas foi uma das primeiras. Não foi por mal e, diferente de outros casos, era algo que eu não poderia evitar. Ás vezes o amor acaba e não há nada que se possa fazer. Há detalhes que eu mudaria se pudesse, mas eu o teria machucado de qualquer maneira.
Pouco mais de um ano depois disso eu tentei entrar em contato, mas ele não estava pronto. Acho que eu também não, porque fiquei enfurecida. (Eu era um pouco mais… feroz nessa época).
Hoje ele recebi uma mensagem dele. Dez anos depois, ele está pronto. E ele não veio com ressentimentos, mas com doçura. Sei que lhe devo desculpas, mas não é isso que ele me pede. Esse homem me escreveu para agradecer.

… agradeço por ter feito parte da minha vida. A saída deixou marcas, mas até essas dores e rancores me fizeram ser mais forte..
(Desculpa te citar sem pedir, querido).

Não consigo descrever o quanto estou emocionada. Segurando o choro há algumas horas, já. Ele era meu amigo, um companheiro muito especial e importantíssimo mesmo antes de namorarmos. E ele me perdoou.
Quanto tempo dura uma mágoa? Quanto demora pra que uma bolha se transforme em calo, pra que a dor te fortaleça? Mais que isso: qual é o elemento alquímico que permite nos transformarmos sem amargar, sem que nossas marcas se transformem em muros? Depois de dois ou três anos eu já considerava tê-lo perdido e no entanto… Dez anos foi o tempo dele.

Anjo, você não é mais aquele menino e não consigo imaginar que tipo de homem você se tornou – especialmente depois de me surpreender assim. A menina que te machucou era assustada e arrogante demais para ter feito melhor e, por isso, eu me desculpo. Não tenho palavras pra descrever como me alegra que você veja com gratidão o tempo que passamos juntos, porque eu também vejo. Você me deu muito carinho e o que vivemos ajudou a definir quem eu sou hoje. Me ajudou a ser menos agressiva ou arrogante e me deu forças pra lutar contra certos monstros internos. Muito obrigada. Por um ano de risadas, um ano e sete meses de companheirismo e dez anos de reflexão. E muito obrigada por essas últimas quatro horas e meia de perdão.

Anúncios

Sobre mafaldamaya

Garota meio verborrágica, meio não mais garota, meio nem sei mais...
Esse post foi publicado em Crônica e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para ALGO MAIS SOBRE CALOS E BOLHAS

  1. Obrigada dividir e não deixar essa história guardada no peito. A felicidade é contagiante! Linda história.

  2. Joi disse:

    Que sensível, Mafalda!
    Como são surpreendentes os caminhos e mecanismos da vida, não é?!
    E o tempo?! Ah Meu Deus, esse tempo deixa a gente de joelhos! Rs!
    Sei que todos temos coisas gravadas a ferro e fogo dentro de nós. Escrevi hoje sobre as ‘heranças’ que nos são deixadas, e que, às vezes demoramos tanto tempo para nos livrarmos delas.
    E principalmente, como é bom sabermos que de alguma forma, marcamos para o bem a vida de uma outra pessoa. E claro, sabermos que fizemos tudo o que podíamos e demos o melhor de nós. Às vezes, não é o ideal, mas é o que podíamos e não quer dizer que não foi com todo o coração. =)
    Lindo post.
    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s