Arquivo do autor:mafaldamaya

Sobre mafaldamaya

Garota meio verborrágica, meio não mais garota, meio nem sei mais...

FUNCIONAL

A palavra mágica do universo dos problemas psicológicos. Significa que você está indo bem no caminho de fingir que está tudo bem. Significa que você consegue trabalhar, tomar banho, responder (algumas mensagens), comer o suficiente. Parecer quase normal. Significa que … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

NATUREZA

Sou chuva violenta Ondas no mar revolto Sou a cachoeira que ressoa longe Essa é quem eu sou   Mas às vezes o vento muda E afasta as águas de mim A seca me arrasa E minha natureza parece perdida … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

HELÔ

Eu ainda não chorei por você Mas eu vou…   Vou aceitar que você veio, Vou me despedir de você, E vou deixar que vá embora.   Então, enfim, vou chorar por você. E vai doer.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

NÃO-POEMA

Não quero perder um minuto escrevendo Sobre os lençóis manchados, Nossos cheiros no ar Ou o suor que escorre Nos pelos e peles Quero  é que seus dentes  Rimem com a minha carne! Deixa que nossos corpos Criem os sons … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Você tem amigos

– O que foi isso? – O gato me arranhou. – Humm… Você não é a primeira pessoa que se machuca que eu atendo. E eu tenho gatos, sei que as marcas não são assim. – Meu gato tem a … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

BRINCADEIRA

​Quando foi que cresci E brincar virou coisa feia? Gosto de brincar com o corpo Quebrar cabeças de palavras Jogar com flores e luzes Brincar com meu desejo por ti Ai, que boba sou eu! Ai, que brincadeira perigosa Essa … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Poema

O senhor veja, É claro que prefiro escrever poesia Mas há que se comprar o pão, entende? E de mais a mais, há música em todo som Há dança em toda pisada E teatro em toda mentira. De mais a … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Deixe um comentário