HAIKAI DA SOLIDÃO

Tantas palavras

Pra esse cansaço

E eu só queria um toque

Anúncios
Publicado em Poesia | Deixe um comentário

SP

É verão

Um amarelo brilhante deveria

Estar lavando o céu lá fora

Mas minha cidade está cinza

E chora

 

Sou como a cidade

É verão na minha vida

Mas minha alma está cinza

E eu também choro

Sem dever chorar

Publicado em Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

ESSA NÃO SOU EU

 

O que você quer de mim?

Quer chamego e colo?

Cuidados de mãe?

Quer minha pele fervendo

Grudada na tua?

Quer que eu me debruce na sua cama?

Que te acorde com carinhos?

 

Ou quer apenas a certeza

Mesquinha de que há alguém aqui?

Alguém tua, como um cão.

Esperando o que pode cair da tua mesa.

Essa não sou eu, saiba.

 

Estou mais pra gata do que cadela.

Na rua e na luta

Por mim.

Meu carinho é doce e sincero,

Meu corpo, quente e forte.

E posso ser mãe e ser puta, sim.

Posso ser tudo que alguém fantasiar!

Mas não me troco por migalhas,

Essa não sou eu.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

TEU RISO

Me encanta ouvir

A música do teu riso

Ruído doce no pé do ouvido

Embalando meu dia

Me fazendo lembrar

…a pele macia

…os dentes lindos

…o olhar de menino

Me fazendo perguntar

Por que ainda não fui tua?

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

COCEIRA

Estou coçando

Pequenas sementes correm debaixo da pele

O vergão que forma mostra o caminho

Pra fora de mim

A lua me me chama

E preciso sair

Preciso rodar no meio do mato

Sentir a mata preencher meu vazio

Arrancar a nuvem que me embota a cabeça

Lavar você do peito, de baixo da cachoeira

O vento está mudando!

Estou empoleirada sobre a pedra

Sentindo o Sol

Sentindo o ar

Ouvindo o rio

Que vai tirar essa coçeira que sinto

De partir

De voar

Publicado em Poesia | 1 Comentário

BOM PARTIDO

“I know I don’t deserve you

I wonder how I’m ever gonna hurt you

Bad girl, drunk at six

Kissing someone else’s lips

Smoked too many cigarettes today

I’m not happy when I act this way”

Madonna

 

“I told you I was trouble

You know I’m no good”

Amy Winnehouse

 

 

Esta já fui eu. Absolutamente certa de que não merecia o amor que me ofereciam.

Por ser desbocada, por não ser quietinha ou delicada me deram a personagem da “bad girl” e eu aceitei e carreguei essa personagem por anos. Sou a que fala com todo mundo, faz piada com sexo, ri alto. A que vai em todas as festas, que vai pro bar e brinca de vira-vira com os caras. Sou a que tem vários amigos homens. E a que ficou com muitos deles. Claro que eu sou a garota da diversão e não a do relacionamento sério, não é? Não, não é.

É bom perceber que pelo menos essa neura eu superei (kind of). No meio de todas as inseguranças que ainda fazem parte de mim e da minha auto estima de merda, fico feliz de ver que consegui fixar pelo menos um tijolinho de amor próprio.

Eu me acho um bom partido. Sério.

Estou longe de ser a namorada perfeita, mas trabalhei muito pra ser uma pessoa melhor e chegar onde estou hoje. Quando estou em um relacionamento sou honesta com meus sentimentos o máximo possível; sou compreensiva e carinhosa; não sou ciumenta; sou atenciosa e evito dramas a todo custo. Acima de tudo sou muito companheira e me atento para respeitar as individualidades e a privacidade do outro.

Acho que nem em entrevista de emprego eu cheguei em uma lista tão grande de qualidades que vejo em mim mesma. É muito desconfortável falar delas, parece que estou desobedecendo minha mãe. Mas acredito nisso tudo. Não porque sou foda e ponto, mas porque ralei muito pra construir cada uma dessas qualidades.

Tirando a falta de ciúmes (que é bem natural pra mim) eu não nasci com nenhuma dessas características. Meu primeiro ou meu segundo namorados não usufruíram delas e pelo menos uma eu só fui aprender com o último. Elas são fruto de um esforço longo e consciente para me tornar uma companheira melhor e é desse esforço que eu me orgulho. E muito. E sei que não preciso deixar de se quem eu sou (festeira, desbocada, extrovertida) pra segurar a onda dessas conquistas.

Ainda tenho muito latente a sensação de que não mereço ser desejada ou que se apaixonem por mim – que não mereço o interesse inicial. Mas já consigo me achar uma boa parceira. É o que tem pra hoje.

Ufa! Uma coisa a menos.

Publicado em Relacionamentos | Deixe um comentário

FAZENDO VALER A PENA

Quero escrever de você

Para fazer valer a pena

Transformar a confusão em verso

Usar o avesso do que dói

E te embalar com o véu da distância

Mesmo que ainda não estejamos lá

Não que minhas palavras sejam tão boas

A ponto de salvar uma alma

Mas podem lavar a minha

E fechar nossa história

Pra começar de novo em outro lugar

Publicado em Poesia | Deixe um comentário